O site que preza pela excelência e o compromisso com a Ética
Carregando data...

1.2.1 Do plantio à colheita dadivosa

 

Dar e receber são duas virtudes da vida humana. Todavia, conforme a orientação do GRANDE MESTRE: “É mais feliz quem dá do que quem recebe.”

Para compreender o poder ocasionado pela generosidade, você deverá doar uma parte daquilo que está à sua disposição, fazendo fluir a abundância em sua vida. Assim, estabelecerá espaço para aparecer mais bens materiais e espirituais, ou circunstâncias que multiplicarão as suas alegrias.

Da sua vivência adstrita à generosidade, o tráfego de bênçãos, como natural causa e efeito, possibilitarão o fascinante e permanente poder: “Quem dá é mais feliz do que quem recebe.”

Quando praticamos ações altruístas, como a generosidade da doação de dinheiro para ajudar direta ou indiretamente a alguém, ativamos o sistema dopaminérgico mesolímbico (sistema de recompensa cerebral).

Como grande exemplo da felicidade de quem doa, constata-se a abundância de hormônios ligados ao altruísmo os quais são secretados pela glândula pituitária da mãe que amamenta o bebê e do pai, ou dos avós quando fazem algo em benefício dos filhos ou netos.

Redes neuronais e estruturas que compõem os circuitos emocionais geram experiência emocional subjetiva com as consequentes manifestações fisiológicas e comportamentais que resultam respostas emocionais de prazer e recompensas psicossomáticas quando somos generosos com o próximo, conhecido ou não, porque desta forma ficamos mais perto de DEUS, tendo ou não o ânimo da fé.

 

1.2.1.1 Generosidade e recompensa

 

A generosidade ativa o “centro de recompensa” da pessoa generosa, principalmente no feixe prosencefálico medial – nos núcleos lateral e ventromedial do hipotálamo, concedendo ao doador a mesma sensação percebida pelo destinatário da sua ação altruísta. Esse sentimento de recompensa, intensifica a nossa imunidade, livrando-nos das doenças e formando um poderoso campo de atração de benefício, de realizações e de riquezas.

A generosidade espontânea, altruísta e frequente representa um enérgico vetor que move a alma magnânima ao encontro da autêntica alegria e da purificação necessária para a comunhão com o SENHOR DA VIDA. Quem presta favor ao próximo, em verdade, ajuda a si e conecta-se com DEUS. Semear o bem resulta a colheita de múltiplos benefícios nos campos da vida material e da vida espiritual, com outorga automática pelo sistema de causa e efeito, além do incomensurável vínculo direto com o SENHOR de todas as riquezas.

 

 

 

Continuação na próxima semana.

 

Sobre o autor

Sérgio Bento De Sepúlvida Júnior

Sérgio Bento De Sepúlvida Júnior

Sócio Administrador e Escritor

Para falar com o autor, utilize a página Contato.

Compartilhe nas redes sociais

Comentários